Pais Cooperantes Alunos Brilhantes

0Publicado em Aug 22, 2011 | Em Escola de Pais

A sintonia dos pais com a escola é um aspecto crucial para o sucesso escolar dos alunos. É fácil perceber  quanto  importante é esta atitude, pensando nas relações familiares e no ganho perigoso de poder que as crianças e os jovens adquirem quando as ideias dos pais divergem quanto a um assunto que diz respeito às crianças. Num segundo, o conflito de ideias entre pais torna-se num cenário espectacular de ganho de poder, e a criança ou jovem aproveita a confusão para marcar a sua posição e sair “ganhador”. Na escola passa-se o mesmo se um aluno percebe que pais e escola discordam sobre um determinado assunto. A discordância pode acontecer, e acontece por vezes, mas o assunto tem que ser tratado, negociado ou compreendido em privado, de modo que o aluno nunca saiba que está a haver dessintonia.

Da nossa experiência a quase totalidade dos alunos aproveita a situação para entrar em “modo preguiça”, porque agora tem uma desculpa para isso. E é fácil perceber que a maior parte dos jovens anda à procura de desculpas para não investir nas actividades escolares como devia. Em termos psicológicos diz-se que os jovens estão sempre a procurar fugir do princípio da realidade (necessidade de cumprir horários, realizar tarefas, ter rotinas de trabalho intenso, etc.) para o princípio do prazer (fazer o que bem lhe apetece, não ter regras ou horários, não ter responsabilidade). Nós, provavelmente, também éramos assim! Certo?

Aqui ficam algumas dicas para optimizar o processo educativo e conseguir os resultados e a motivação que desejamos que os nossos  filhos tenham:

  • Valorize a escola e os professores na presença da criança. Ao fazê-lo a criança sentirá a escola como algo importante e respeitará mais os professores, o que se traduzirá numa maior  motivação e investimento por parte da criança nas actividades escolares.
  •  Mantenha-se a par da vida escolar do seu filho. Saber é poder. Fale regularmente com o professor, veja os livros e cadernos do seu filho e fale com ele sobre o que aprendeu na escola.
  • Mostre-se interessado pelas actividades escolares do seu filho e os níveis motivacionais do pequeno serão proporcionais ao vosso interesse. Os filhos que sabem que os pais contactam a escola, falam com o professor, que participam em actividades organizadas pela escola, mantêm-se mais motivados.
  • Quando discordar de alguma opinião de professores, fale directamente com eles, o mais rapidamente possível para esclarecer a situação (é fundamental). Já sabe o que acontece quando a criança sente que existe dessintonia entre os pais e a escola. Nós já presenciamos a transformação de  alunos bons e motivados em alunos medianos e desmotivados devido à exarcebação do conflito entre a família e os professores.
  • Nunca desautorize o professor na presença da criança. Se não concordar com uma medida tomada pelo professor, esclareça-a directamente com ele sem ser na presença da criança.
  • Nunca use o seu filho como mensageiro. Sempre que tiver uma dúvida em relação a algum assunto relacionado com a escola, esclareça-a, de imediato, directamente com a escola. Nunca use a criança como mensageira, como sabemos as mensagens são muitas vezes deturpadas dando origem a mal-entendidos. 
  • Leve o seu filho a pôr em prática, no seu dia-a-dia, os conhecimentos que aprendeu na escola.  Proporcione   momentos       de      brincadeira  e descontração, onde   simultaneamente   possam treinar algumas competências. Actualmente não só os programas escolares se estão a tornar mais exigentes, como é fundamental que as crinças desenvolvam competências que lhe permitam enfrentar  com sucesso os desafios que lhes  irão surgindo na vida, nesse sentido é imprescindível que, em casa, sejam estimuladas as aprendizagens da criança, levando-as a treinar regularmente  e não só na véspera dos testes, os conteúdos trabalhados na escola.
  • Estabeleça rotinas com o seu filho: horário em que irá fazer trabalhos ou rever conteúdos escolares. Se chegar demasiado tarde para que o seu filho se sente a fazer trabalhos, fale com ele durante o percurso para casa, faça-lhe perguntas sobre os conteúdos trabalhados nas aulas, peça-lhe para lhe explicar o que aprendeu. Esta também é uma forma de treino. Ao fim-de-semana, estipule e faça-o cumprir um horário para a realização de trabalhos para treino dos conteúdos escolares.
  • Perante dificuldades não apresente soluções, leve o seu filho a encontrá-las.
  • Dê autonomia ao seu filho. Responsabilize-o por algumas tarefas como, por exemplo, a arrumação da sua mochila. Verifique no entanto o resultado e ilogie sempre que a criança tenha demonstrado a sua responsabilidade.
  • Ajude o seu filho a desenvolver crenças positivas acerca de si mesmo a das suas competências.
  • Nunca compare o seu filho com outras crianças. Apenas consigo mesmo. Fazê-lo poderia levar à desmotivação e à tendência para desistir sem sequer tentar.
  • Nunca critique o seu filho na presença de outras pessoas. O que poderia ter graves repercussões na sua auto-estima e auto-confiança.
  • Elogie o esforço e não a inteligência da criança. Pois assim a criança saberá que uma dificuldade poderá ser sempre ultrapassada com esforço e persistência.
  • Dirija a crítica aos comportamentos e não à criança. (Ex. “Fizeste este trabalho com pouca atenção e deste muitos erros.” e não “És mesmo distraído, nunca te concentras, por isso dás tantos erros.”).
  • Os filhos são o nosso maior tesouro, um tesouro que precisa ser “alimentado” com carinho, dedicação, compreensão, mas também firmeza e  exigência. O bem-estar e o sucesso dos nossos filhos tem como grande pilar a sua  educação. Ao investirmos na educação dos nossos filhos sendo  pais activos e colaborantes, a vida escolar dos nossos filhos não será um filme dramático, mas sim uma biografia de sucesso.
Add comment

Comments are closed.

top